Princípios da Permacultura – design para sustentabilidade

A permacultura não se resume a uma técnica ou um pacote tecnológico – é uma ciência, com um currículo acadêmico. Selecionamos 17 princípios e conceitos que promovem o design para sustentabilidade – conexões que promovem o uso eficiente de trabalho e energia.

Princípios da Permacultura

(Princípios Éticos)

1. Cuidados com o planeta – Promover a continuidade de todos os sistemas vivos.

2. Cuidados com as pessoas –  Promover às pessoas o acesso aos recursos necessários à sua existência.

3. Compartilhar excedentes e estabelecer limites ao consumo – Governando nossas próprias necessidades, poderemos garantir os recursos necessários para cumprir com os 2 primeiros princípios acima.

(Princípios de Design)

4. Quanto mais se aproxima da natureza, menos se trabalha – Design inspirado nos sistemas naturais. Quando criamos sistemas conectados para aproveitar ao máximo a energia disponível, não precisamos realimentá-lo e protegê-lo.

5. Substituir altos investimentos e trabalho por planejamento e criatividade – Se o sistema está lhe dando muito trabalho, você ainda não pensou o suficiente.

6. O problema é a solução – Problemas apontam situações especiais em que um elemento está sendo utilizado para uma única função. Todo elemento em um sistema deve ter mais de uma função – portanto, todo problema aponta para uma oportunidade.

7. A diversificação garante a estabilidade – A estabilidade depende da disponibilidade de recursos ao longo do tempo.

8. A estabilidade vem quando se fecham os ciclos – Quando uma parte do sistema sustenta outra, evita-se a necessidade de procurar insumos externos, fortalecendo assim todo o sistema.

9. Precisamos responsabilizar-nos pelos nossos netos – Tivemos o privilégio de poder ainda desfrutar de florestas, de beber água limpa , de contemplar paisagens belas. Os nossos netos também têm este direito, e cabe a nós a responsabilidade de assegurar que estes direitos sejam respeitados.

10. Os problemas são basicamente domésticos e podem ser resolvidos no nível doméstico – Não há soluções em grande escala para problemas locais.

11. Todo sistema deve produzir mais energia do que consome – Quando falamos em “energia”, podemos pensar em calorias. Qualquer sistema deficitário, que seja em termos monetários ou energéticos, é fadado a falir, cedo ou tarde. 

(Princípios de Acumulação de Energia)

12. Produção intensiva em relação ao trabalho – Sistemas permanentes exigem poucos insumos, consumindo menos energia e trabalho do que produzem.

13. Produção para consumo local – Evitam-se assim o uso deficitário de energia com transporte.

14. Utilização de recursos disponíveis – gravidade, transporte animal, sol, vento, reúso de materiais, conhecimentos, pessoas.

15. Reciclagem – Aumenta-se a permanência e circulação da energia dentro do sistema, reduzindo-se a necessidade de novos aportes.

16. Transformação e acúmulo de energia: cozinhado com fogões solares, biogás, painéis solares para aquecimento de água, telhados verdes,  etc.

17. Visa-se cooperação em vez de competição, integração em vez de fragmentação – Pensando-se no sistema, a cooperação baseia-se no uso compartilhado de energia, somando a energia de uns com os outros, ao invés de se anularem mutuamente, como é o caso da competição.

Deixe uma resposta