O que é Permacultura?

A Permacultura (união das palavras “cultura” e “permanente”), criada no final dos anos 70 pelo ecólogo australiano Bill Mollison, é uma ciência interdisciplinar que evidencia sistemas práticos de desenho e planejamento de ambientes economicamente e ecologicamente produtivos.

Por que Permacultura?

Por Sérgio Rocha e Pablo Baños

Criada em 1974 pelo naturalista e biólogo australiano Bill Mollison, a Permacultura nos fala sobre design… e sobre sobrevivência. Em seu livro de 1979, ‘Permaculture: A Designer’s Manual’, Bill estrutura o conteúdo acadêmico básico para a disciplina de permacultura, abordando deste filosofia e ética, conceitos e métodos de design, entendimento de padrões; e até informações detalhadas sobre o funcionamento e metabolismo do planeta (fatores climáticos, árvores, água e solos).

A permacultura é uma ciência de design, e assim como outras escolas de design que buscam inspiração em padrões de estética e beleza, a permacultura se inspira nos padrões de eficiência verificados nos sistemas naturais. É o design consciente de ecossistemas produtivos, que possuem a diversidade, estabilidade e resiliência dos ecossistemas naturais.

Durante toda sua vida, Bill estudou os grandes biomas do planeta, observando as interações entre plantas, animais e suas conexões com os sistemas humanos. A convivência com diferentes povos, em diferentes regiões climáticas, possibilitou a Bill descrever estratégias e tecnologias desenvolvidas durante milênios, aplicadas em sistemas que se mantiveram estáveis e produtivos ao longo de inúmeras gerações. A partir destas experiências, o Manual de Permacultura apresenta estratégias de eficiência para a construção de assentamentos humanos permanentes para os trópicos úmidos, zonas secas e áridas e climas frios. São inúmeras dicas e técnicas para instalação de sistemas que promovem o uso consciente da água, regeneração e enriquecimento dos solos, conservação e recuperação de áreas verdes e regulação do clima (além de princípios de ecoeficiência em horticultura, agricultura, aqüicultura, edificações, etc.). Enfim, se uma indústria ou uma cidade é planejada de forma que os excedentes de um de seus departamentos esteja conectado as necessidades de outros, teremos uma relação de ecoeficiência, minimizando os desperdícios de energia – ou lixo. A escala e aplicabilidade destes conceitos dependem da criatividade dos designers!

Com o amadurecimento do seu conceito, em 1981 Bill começa a ensinar permacultura como um disciplina de design aplicado, quando os 26 primeiros estudantes puderam se graduar no tema. Hoje é possível contabilizar milhares de pessoas que já se formaram nestes cursos – uma rede global de ação em diferentes paises, sem uma estrutura central, onde todos são livres para atuar como indivíduos, formar pequenos grupos ou para trabalhar junto a outras organizações.

A permacultura é representada por mais de 450 grupos, associações e organizações trabalhando com seus princípios do design em todo o mundo. Mais de 4000 projetos de Permacultura são executados em mais de 120 países em todo o mundo.

Em um futuro de mudanças climáticas e escassez de recurso, a permacultura apresenta soluções positivas para a reestruturação de nossas cidades, nossa produção de alimentos e todos os sistemas produtivos que são a base de nossa sociedade.

Deixe uma resposta